segunda-feira, junho 02, 2014

CAPTURA DA SEMANA: "Tolerância" LGBT

Por Cristiano Alves


Essa captura de tela foi feita na rede social Twitter e demonstra bem o modus operandi dos proselitistas do movimento LGBT. Me senti ofendido por uma postagem cujo autor dizia que A Página Vermelha, primeiro site marxista-leninista da internet brasileira, era "extremista de esquerda parecido com os extremistas de direita". Qualquer pessoa que acompanha A Página Vermelha sabe que condenamos tanto o extremismo de direita, quanto o extremismo de esquerda, prática, aliás, inerente ao leninismo. 

Daí fui analisar "onde está o extremismo" observado pelo autor da postagem e ao clicar no link vi que ele se referia a um artigo contra o movimento LGBT. A princípio preferi ignorar, até perceber que o autor se tratava de um mestre e doutorando, da área de Direitos Humanos, razão pela qual imaginei que o autor se equivocara. Levantando alguns questionamentos de forma civilizada para com o dito cujo através do Twitter recebi a seguinte resposta que demonstra bem o nível de "tolerância", "respeito aos Direitos Humanos", "à dignidade da pessoa humana" e também o "elevado grau de civilidade desse proselitista LGBT". A imagem vale mais do que 1 milhão de palavras de qualquer ativista do movimento:

Depois "nós" é que somos extremistas


Como vemos aqui, o tal Raphael Tsavkko usa dois recursos para demonstrar sua falta de caráter. Aparentemente ficou furioso com um twit meu onde eu o recomendava que ele lesse Marx e Engels, ao que ele alegou "já ter lido". Se leu não entendeu e desonestamente ignora o que Marx e Engels escreveram sobre o uranismo, um grande artigo que fizemos questão de publicar aqui. Depois o mesmo indivíduo vem falar em "stalinismo genocida". É típico de todo aspirante a tirano usar Stalin como "cortina de fumaça". Sempre que alguém acusa Stalin de "reprimir" ou de ser "genocida", podem pesquisar que esse sujeito tem culpa no cartório(ou tem pretensões para tal). O sujeito chama Stalin de "antidemocrático" e censura qualquer um que pense diferente dele, chama Stalin de "genocida" e promove um movimento que visa destruir o ethos de um povo.

Desarmado e sem argumentos o sujeito encerra a discussão dizendo que sou um "bostinha sem amigos incapaz de entender qualquer coisa p alem do seu mundinho", até encerrar chamando de "homofobicozinho tosco". De onde o sujeito tirou que "não tenho amigos" eu não sei, aliás felizmente estou muito bem, até tendo uma "amiga" favorita que é uma grande camarada leal ao comunismo e opositora ferrenha do liberalismo. Tenho amigos de todos os tipos, inclusive homossexuais com quem me dou muito bem, todos, a propósito, opositores do movimento LGBT. Muitos são de países como Rússia, Belarus e Ucrânia, com quem troco até hoje presentes valorosos e até mesmo cartões, coisa rara nos dias atuais. São amigos de confiança, um deles, por exemplo, até me ofereceu o apartamento de sua mãe, que mora sozinha, em São Petersburgo para viagem minha à Rússia. Noutro amigo tenho tanta confiança que mesmo em nosso primeiro encontro, na cidade de Teresina, permiti que empunhasse uma espada que tenho guardada. Outro tem plena convicção nas minhas ideias, chegou a me propor uma ajuda de 300 dólares, caso desse certo a minha ida para a República Popular de Donetsk(sou voluntário para Donetsk). Também possuo um amigo com quem constantemente tomo chimarrão e grandes amigos no Sul do país. Por isso posso dizer que estou muito bem nesse campo. Posso contar com amizades verdadeiras, afetividade que nada tem a ver com "alargamento de esfíncteres"(ou como dizemos aqui no Nordeste, "troca de caneco") que é talvez o que esse reles ignóbil entende por amizade.

Depois o sujeito me acusa de ser "homofóbicozinho tosco". Aqui é importante que o leitor se dê conta de que "homofóbico", para os proselitistas LGBT, não passa de um mero insulto ontológico. Nós condenamos a homofobia, a aversão irracional aos homossexuais, todavia a aversão que temos não é aos homossexuais, e também não é "irracional", ela é dirigida contra a organização dos homossexuais por motivos racionais que é o repúdio por sua intolerância, pelas suas posturas liberais, gnósticas, imperialistas e neofascistas! Já foi provado por um jornalista inglês, neste artigo, que todos os movimentos neonazistas europeus são dirigidos por militantes LGBT, aliás o próprio Anders Breivik, que fuzilou jovens sociais-democratas, iniciando pelas mulheres, foi visto na parada LGBT de Oslo, segundo testemunhas em seu julgamento.

Uma das coisas que chama atenção nesse proselitista histérico é o fato de ser um doutorando, o que demonstra a monstruosidade que o nosso ensino superior infelizmente vem criando. Mas para quem conhece a história, nenhuma novidade, afinal, se até Goebbels era doutor, por que esse bárbaro não poderia ser?

O que é o "totalitarismo"? Esse termo foi criado por um jornalista comunista italiano para descrever o fascismo, cujo sistema de ideias não admitia nada fora do partido e do Estado fascistas(inclusive as empresas privadas, que deveriam ter o seu crivo). O socialismo não pode ser tido por "totalitário", já que o próprio Lenin admitia a participação de não-comunistas no poder. Escrevia Lenin que "se não soubermos trabalhar com os não-comunistas, jamais poderemos falar numa construção socialista efetiva". Na época de Stalin, era comum encontrar cartazes divulgando as eleições com dizeres como "Eu votarei no bloco dos comunistas e dos sem-partido". Ou seja, de modo algum os comunistas entendiam que "todos devem se curvar à Roma Vermelha". Esse pensamento, todavia, comum dentre os fascistas é comum também dentre os uranistas, que nada mais são do que fascistas coloridos.

Para os uranistas, histéricos que se acham acima de toda a crítica, "homofobia" não é "repúdio irracional aos gays", homofobia, em sua concepção, é qualquer ato de insubmissão à ideologia uranista! Ironicamente essas pessoas nos chamam de "extremistas". Parodiando a frase do bispo de Alexander Nevsky, filme de Serguei Einsenstein, "aquele que não se curvar à Roma colorida deverá perecer"! Talvez não chegará a perecer, mas deve estar preparado para enfrentar ataques histéricos de calúnias, injúria, difamação, perseguição e repúdio do lobby uranista.

Nós não nos curvamos à "Roma colorida" e não esperem que nós levantemos o braço, afinal sabemos bem o que é a vossa "tolerância LGBT".

9 comentários:

Marcos R. disse...

Me assusta um cidadão baixo desses ser doutorando. É do tipo que pensa "Quem diverge de mim, só pode estar mal intencionado", e esse tipo de pensamento, além de despótico, é um déficit civilizatório. Essa agressão que você sofreu, só mostra como títulos não são garantias absolutas de inteligência e integridade, e muito menos deve ser critério para elevar socialmente um indivíduo. Abaixo os proselitistas!

Angela Sztormowski disse...

O nível de falta de educação e ignorância desse "doutorando" me leva a questionar se ele tá fazendo doutorado mesmo ou se vai simplesmente comprar o título, porque pelo visto aprender algo é o que ele NÃO está fazendo. Patético! O pior é que certos "acadêmicos" deste naipe se acham semi-deuses na Terra, mas ignoram qualquer coisa que fuja ao pensamento hegemônico ocidental.

A Página Vermelha disse...

Como bem colocado pela historiadora e politóloga russa Natalya Narochnitskaya, presidente do Instituto para Cooperação e Democracia, em Paris, esse LGBT se trata de uma nova forma de totalitarismo!

Como bem colocado pelo jornalista russo Maxim Shevchenko, movimento LGBT é política! Esse sujeitinho é apenas um "político", um militante certamente pago por ONGs, e quem recebe dinheiro de ONGs tem que fazer esse dinheiro valer. Isso explica o interesse dele em "direitos humanos", pois essas pessoas se infiltram nos altos escalões da sociedade justamente assim, em órgãos de direitos humanos, escolas, universidades...

Na escola eles doutrinam crianças com ideias uranistas, na faculdade tentam convencer quem não foi doutrinado, na internet agem como polícia para "bater" em quem recusa sua doutrinação. Nas ruas eles batem(sem aspas) em quem organiza eventos a favor da família tradicional, nos países onde sua causa é mais avançada como a Alemanha, Holanda, etc

Sujeitos como esse "dotô" não passam de patifes e de vigaristas sem qualquer compromisso ético e sem qualquer honestidade. Essa discussão é a prova de que esses vigaristas rejeitam o debate civilizado. É por isso que na Rússia eles não perdem tempo dialogando com esses energúmenos, partem logo para a ação.

Esse vídeo aqui é um ótimo exemplo de como militares da VDV, a força paraquedista russa e da ex-URSS, lida com esses provocadores. Nele um garoto tenta "trollar" o dia da VDV, levando uma bandeirinha colorida e cercado de câmeras. Veja como reagiram os paraquedistas, que acabaram entrando em confronto com o OMON(o BOPE russo) por causa do garoto(a garota do vídeo que toma a bandeira me lembra você, Angela, rs):

https://www.youtube.com/watch?v=VFACdxOpaaw

rafael no céu disse...

cristiano, gosto de tudo na sua visão, exceto a homofobia, e não sou gay.

rafael no céu disse...

cristiano, que fonte é boa para o uranismo?

A Página Vermelha disse...

@rafael

Não entendi a sua pergunta. Se você se refere a fontes a respeito do uranismo, recomendo o meu artigo "A mulher barbada austríaca e o beco sem saída do pós-modernismo".

A Página Vermelha disse...

@rafael no céu

Eu já disse pelo menos centenas de vezes que não somos homofóbicos. Nós não temos uma "aversão IRracional a gays" e sim uma "aversão RAcional ao movimento LGBT". Nós odiamos LIBERAIS, sejam eles hetero ou homossexuais! Nós repudiamos militantes LGBT, os "homossexualistas", adotando a nomenclatura de "The Pink Swastika", e homossexualistas podem ser ou não homossexuais. Há pessoas que são hetero, casadas, tem filhos, declaram jamais ter tido relações homossexuais, mas militam na causa. Também há pessoas que são gays assumidas e que abominam o movimento LGBT. Isso basta para provar que nossa posição:

1- não é o homossexual
2- é contra liberais, sejam heteros ou homossexuais

Nós abominamos o liberalismo independente da forma como se manifeste, seja em atos hedonistas, em atos "a favor do livre mercado", em atos de privataria, em atos de anticomunismo, etc. A defesa do liberalismo econômico é a defesa de um sistema decadente e putrefato, plano econômico e moral. É um sistema inimigo dos trabalhadores que os obriga a trabalhar em função não de seu bem estar, mas dos lucros, das farras e da extravagância dos grandes capitalistas.

Para cada artigo nosso contra liberais homossexuais esteja certo de que temos pelo menos centenas de artigos contra liberais heterossexuais!

Lucas Miranda disse...

http://revistacidadesol.blogspot.com.br/2014/06/cristiano-alves-e-o-humor-involuntario.html
Cristiano, você tem algum problema com esse Lúcio?

A Página Vermelha disse...

@Lucas

Tenho sim, é um provocador liberal, sem-vergonha, como todos eles.
Esse pessoal tenta trollar comemorações militares na Rússia, que dirá de um site que os expõe. Junto com olavettes, tenho recebido ameaças de morte até(isso já é tão corriqueiro que nem publico mais).
Não vão me calar! Não tenho medo de covardes!