sábado, julho 06, 2013

INTERNET: Baixaria, ódio e fobia: O perfil da extrema-direita nas redes sociais


Por Cristiano Alves

Baixaria: Você confiaria numa médica que se expressa assim?
Foi-se o tempo em que a favela era sinônimo de crime, hoje em dia ela tem um forte concorrente, inclusive no aspecto de delinquência juvenil, o apartamento da zona nobre! Enquanto a favela concentra indivíduos socialmente excluídos, marginalizados, que por sua condição social são arrastados para o mundo do crime, apartamentos de classe média concentram delinquentes com alto nível de formação educacional, em teoria, cuja diversão está na fomentação do ódio, do desprezo por qualquer indivíduo que não tenha o perfil de alguém de classe média alta e branco, e mesmo na divulgação do fascismo, da xenofobia e do racismo. É claro que, assim como na favela, nem todos os habitantes de tais lugares são praticantes de tais crimes, sendo inaceitável a generalização.

Com os últimos avanços tecnológicos, a informação adquiriu uma velocidade comparável a da luz. Aquilo que os olhos veem, o smartphone transmite, o que o coração sente é postado no Twitter, VK ou Facebook. Os avanços tecnológicos e as redes sociais de modo algum inventaram o ódio, ele apenas surgiu como um vidro transparente que prisma o que há de mais vil, baixo e repugnante na alma humana. Assim, jovens pequeno-burgueses com problemas de realização pessoal enxergaram em redes sociais como o Facebook um consolo para seu onanismo intelectual. Não basta achar que "o negro é macaco" ou que "o comunismo é a encarnação do mal", é preciso postar no Twitter ou em um perfil de Facebook, além de ser necessário criar até mesmo grupos de discussão para papaguear seus argumentos escatológicos. Nos últimos meses, além dos famigerados grupos neonazistas, alguns travestidos de "Orgulho eurodescendente", tem sido verificada na rede social Facebook um número crescente de grupos que clamam como ideário político o conservadorismo ou o "anarcocapitalismo"(ou Ancaps, como preferem), mostrando-se sempre favoráveis ao modelo econômico liberal, como a presença mínima ou até inexistente(no caso dos anarcocapitalistas) do Estado. Eis que um grupo da rede social Facebook denominado "Liberalismo", que é tão "liberal" a ponto de liberar até o racismo. Em expressa conivência com esse ideário, uma usuária chamada Ingrid Souza, favorável ao abortamento foi chamada de "macaca no cio", por um usuário chamado Gabriel Fialho, que sustentou ainda que essa precisaria levar "tapa de macho". É claro que a posição dessas crianças não nasceu por geração espontânea, ela advém de posições arquirreacionárias de adultos conscientes de seus preconceitos como o arcebispo de Granada, na Espanha, o católico Javier Martinez, que defende que "mulheres que abortam merecem ser estupradas". Numa outra postagem do mesmo grupo, um jovem chamado Vitor Hugo Pereira questiona se apenas ele acha absurda a sentença condenatória de Mayara Petruso, estudante de direito neonazista que defendeu em seu Twitter o extermínio de cidadãos nordestinos. A despeito da divergência de alguns membros, vários foram os que concordaram com a postagem do rapaz.  Um indivíduo chamado Rafael Madalozzo cinicamente afirma que "punir qualquer pessoa por opinião é coisa de gente totalitária", ignorando que a Lei 7.716/89, que condena o preconceito baseado em "raça, cor, etnia, religião ou procedência nacional", assim estabelecendo limites à liberdade de expressão, como também a própria Constituição o faz, liberdade essa que, sem limites, não é liberdade, mas arbitrariedade! 

Jovens de extrema-direita abominam a legislação antirracista que há no Brasil: "coisa de totalitarismo"
Uma breve análise no perfil dos transgressores, que acreditam piamente que "racismo não existe", nos ajuda a entender o perfil dos jovens de extrema-direita. Ambos são brancos, estudantes de colégios e universidades particulares, e tem uma infinidade de compartilhamentos onde esses fazem questão de mostrar o seu ódio inveterado contra o comunismo. Não raramente seus perfis contém referências ao pensamento do astrólogo Olavo de Carvalho, e a Von Mises, para o qual o "preconceito é uma coisa boa", "a escravidão não foi tão ruim" e "o fascismo e movimentos similares(isto é, o nazismo, nota de APV)... salvaram a civilização europeia". Entre seus livros favoritos, encontram-se obras pseudo-históricas do jornalista Leandro Narloch, isto é, seus guias "politicamente incorretos", em realidade guias conservadores e politicamente "corretos" do ponto de vista da mídia hegemônica.

Embora o perfil dos racistas mais barulhentos seja predominantemente branco, outras etnias não estão excluídas de tal prática nefasta, conforme verificado nessa mensagem dirigida ao autor desse artigo por um indivíduo de extrema-direita de Salvador, Bahia
Além de grupos como o "Liberalismo", no Facebook é possível ainda encontrar páginas entupidas com conteúdo obnóxio como "Meu professor de história mentiu para mim". Nesse grupo é possível encontrar pérolas como a de que "o PSDB é um partido de esquerda"(posição que vai contra a de qualquer cientista político e inclusive contra a de personalidades renomadas da extrema-direita como Reynaldo Azevedo), é possível ver ainda que "nazismo é uma forma de comunismo"(apesar do nazismo ser decididamente anticomunista e defensor intransigente da propriedade privada dos meios de produção), dentre outras excrescências. A comunidade é repleta de mensagens contra o MEC, que na visão do dono do grupo é uma "agência de propaganda comunista", promovendo, além do desserviço à educação, a apologia de torturadores como o coronel Brilhante Ustra, ainda que a comunidade sustente que "a ditadura militar era de esquerda".


Como se não bastasse o descaso do governo com os professores, estes são expostos ao ridículo no grupo "Meu professor de história mentiu para mim", no qual podemos "aprender" que estamos cercados por comunistas de todos os lados, que o crime organizado é cria de Lula e que a ditadura fascista de 1964-85 em realidade foi "de esquerda", apesar do grupo defender o torturador Brilhante Ustra

Mas essa intolerância não é mera birra pueril, há algumas semanas atrás o promotor Rogério Zagallo, defendeu de forma intransigente a execução sumária de manifestantes contra o aumento da passagem, a quem chamou de "petistas de merda, filhas da puta"(apesar de que a maioria dos manifestantes eram de partidos como o PCB, PSOL, PSTU e outros). A postagem, apagada um pouco depois da repercussão negativa que teve, obteve mais de 148 curtidas! Fazendo o estilo "pitbull colérico", o promotor possuía diversos compartilhamentos preconceituosos, anticomunistas e de apologia ao regime fascista que vigorou no Brasil entre 1946 e 1985. Além do promotor, tornou-se também conhecida a postagem de uma brasileira identificada apenas como "Godivana Shivana", que na comunidade "Brasileiros em Paris" julgava abominável o fato de uma revista francesa ter publicado uma capa com uma brasileira de cor negra. Segundo a meliante, a revista se tratava de uma "merda nas bancas de Paris", por trazer uma mulher que "nem cara de brasileira tem, mas de africana, toda caída, numa praia esquisita, como se o Brasil fosse lixo". Para ela isso seria uma evidência da "imagem absurda que o mundo tem do Brasil", tão absurda que todos os anos o Brasil recebe milhões de turistas, muitos inclusive vindo a se casar com brasileiras e brasileiros de cor negra, muitas vezes mais valorizados lá fora do que em seu próprio país.

Ao contrário da ideia de que a intolerância é exclusividade de "jovens mal resolvidos e profissionalmente fracassados", o promotor Rogério Zagallo é a intolerância encarnada, revestida com terno e gravata, no cargo do Ministério Público
O ódio pequeno-burguês é visível nos vários perfis do Facebook e era visível na "finada" rede social Orkut. Um certo Maycon Freitas, recentemente elevado à categoria de "herói", pela revista Veja, funcionário da Globo e suposto líder das últimas manifestações, contém um perfil recheado de citações anticomunistas e contrárias aos direitos humanos, que em sua visão são o "mal encarnado". Numa de suas postagens, no mais baixo nível, o "herói da imprensa" sugere que o deputado Marcelo Freixo vá "dar meia hora de cú"(sic) e chupe um "canavial de rola" por suas posições em favor dos direitos humanos. Maycon nos diz que "bandido bom é bandido morto", desde que o bandido não seja o filho do empresário, o político do DEM ou do PSDB, partidos campeões no ranking nacional de corrupção, desde que não seja ainda o pequeno-burguês que comete crimes usando a internet em seu apartamento no bairro da "zona nobre".


Nem sempre a "direita raivosa" usa suástica, uniformes nazistas ou tatuagem, parte dela usa maquiagem Dior, bolsa Louis Vuitton e salto alto... e claro, o Twitter!
Não é menos expressiva na rede a criação de grupos de humor segregacionista. No grupo "Humor negro", que trás uma montagem com uma foto do tirano austríaco Adolf Hitler, é possível encontrar várias fotos de indivíduos comuns de cor negra expostos a situações ridículas, como uma postagem que cassoa da fome na África e outra com o atleta Anderson Silva, com a inscrição "O homem com a força de 10 escravos". Embora o grupo também traga piadas de loiras, o humor antinegro é sempre voltado para questões históricas. 

Postagens de teor racista tem sido alvo de protesto e ações de ativistas como a funcionária pública da cidade de São Paulo identificada como "Luh Souza". Monitorando redes sociais há mais de 3 anos, esta até já discutiu virtualmente com vários racistas militantes, incluindo o engenheiro Emerson Eduardo Rodrigues, que chegou a organizar atos terroristas contra a Universidade de Brasília. Procurada pela edição de "A Página Vermelha", a ativista paulista nos descreve o perfil dos militantes racistas de extrema-direita:

"O perfil é sempre o mesmo, classe média a alta, de etnia branca em sua maioria. Alguns podem eventualmente se declarar brancos e depois dizerem que tem ascendência  negra, e até amigos negros, quando o fazemos perceber que têm ideias racistas . Faixa etária é inexistente, uma vez que pode-se debater com garotos de 14 e depois nos deparar com textos jornalísticos de embasamento altamente racista. Percebe-se em todos eles a falta de informação, a completa ignorância a respeito da História dos negros como um todo.. a maioria fala através do achismo, do próprio pensamento, sem qualquer embasamento histórico e antropológico a respeito do povo negro. Muitos não são mesmo racistas, são apenas mal informados devido a formação eurocêntrica que recebem nas escolas. Esta mesma desculpa não consigo digerir em relação aos jornalistas e outras pessoas mais velhas com acesso a informação e que continuam embasando suas ideias no próprio sentir. Mas já vi muitos brancos mal informados, não racistas, que procuraram por respostas e mudaram completamente sua visão em relação a muitas coisas, inclusive se tornando em favor das cotas raciais e se livrando de outros preconceitos, assim como se descasca uma banana."

- A Página Vermelha: O que motiva os preconceituosos em sua obsessão contra pessoas de cor negra?

- Luh Souza: Muitos não sabem, outros tem certeza, mas o que os motiva é, sem dúvidas, o medo de perderem o 'status quo'. Sentem-se ameaçados pela "Onda Negra" e de alguma forma, estarem contato com tantos pretos de cabelos crespos para o alto, falando alto e exigindo mudanças, tem assustado muita gente. Não percebem que estamos em busca de igualdade, não de exterminarmos os brancos por vingança. Deve ser assustador saber que somos tantos e agora estamos mostrando nossos rostos como nunca antes viram ou sequer perceberam.

- A Página Vermelha: Há algum tempo, a Polícia Federal prendeu um blogueiro racista e anticomunista que pretendia cometer atentados contra a Universidade de Brasília(UnB) em nome de sua cruzada contra um suposto "marxismo cultural". Você já sofreu alguma ameaça ou represália pela sua militância antirracista?

- Luh Souza: Já. Comecei no Orkut há anos atrás. No começo me assustava com as mensagens que recebia, contendo negros mutilados, ou de ameaça à minha família, símbolos nazistas entre tantas coisas... Este Emerson que foi preso por racismo na internet, entrou muitas vezes em confronto em minhas comunidades ou com meus amigos, dizia sempre que jamais seria preso por ser branco e se fosse, pagaria bons advogados e sairia ileso. Muitos mal informados sentem-se incomodados, acham que a gente sente ódio, mas a realidade é que estamos fazendo por nós o que não fariam de boa vontade. Já viram alguma marcha só de brancos pedindo por igualdade entre ambas as etnias? Não veremos, jamais!

"Dotô" Nelson Neto,  cirurgião, casado, paizão, trabalhador incansável, intolerante com injustiça(sic) e também médicos cubanos e com jornalistas como Carlos Fialho, que ousou criticá-los.
Se alguém acreditava piamente no mito de que "o brasileiro é caloroso e receptivo", é um fato que a sua pequena-burguesia não é nenhum pouco! Essa pode até ser receptiva quando se trata de trazer ao Brasil engenheiros do Canadá, executivos dos Estados Unidos, empresários de Portugal, cozinheiros da Itália, professores da Suécia... porém é xenófoba quando se trata de trazer ao Brasil médicos da república socialista insular. Enquanto mais de 70 países, na África, Europa e América, incluindo o Brasil, recebem médicos de Cuba, uma fração de médicos componentes da chamada "direita raivosa" passou a vociferar e espumar contra a ideia da contratação de mais de 6.000 médicos cubanos proposta pelo Governo Federal. Um número significativo chegou ao ponto de realizar um ato obnóxio de xenofobia, onde médicas carregavam cartazes comparáveis apenas ao da Marcha das Vadias com dizeres como "Dilma, trate seu linfoma em Cuba", enquanto outra dizia "Lula, achamos que o seu dedo está no *#% do povo brasileiro". Nenhum verbo da língua portuguesa pode descrever tão bem o ato quanto o verbo "to bitch" da língua inglesa, dado que nesse ato uma parcela de médicos, turrões, que deveriam estar orgulhosos por estarem vindo mais profissionais para cuidar de pessoas carentes no interior, preferiram agir como prostitutas  insatisfeitas ao reclamar da chegada dos médicos do país com a melhor medicina das Américas, segundo dados da OMS reconhecidos nas Nações Unidas e corroborados por centenas de jornais ao redor do mundo, inclusive de países como os Estados Unidos e a Suíça.


Um dos mentores da pequena-burguesia
Assim, esse é o perfil da extrema-direita nas redes sociais, reacionário, a encarnação da baixaria, pois diferente da classe média de países como a Rússia, onde é abominado o léxico não normativo, a classe média brasileira é culturalmente miserável; a encarnação do ódio por que é ignorante, e pesquisas apontam que pessoas menos inteligentes tendem a ser conservadoras e preconceituosas; além disso é inerente na extrema-direita a fobia constante retroalimentada a cada dia pelo anticomunismo, ideologia descrita pelo sábio americano Michael Parenti como "a mais influente de todas as ideologias", pelo elitismo, pelo racismo e por outros flagelos inerentes ao sistema capitalista. É exatamente desses preconceitos, da paranoia, de uma fobia de indivíduos que estão logo abaixo de sua camada social, que energúmenos criam no país os pressupostos básicos para a instauração de uma tirania fascista, ainda que esta tirania muitas vezes pertença apenas à esfera do universo policial ou meramente do "coronel" nordestino. Entretanto, não se pode condenar Smyerdyakov sem se falar de Ivan Karamazov, separar o parricida de seu mentor intelectual, como nos advertiu o escritor russo Fyodor Dostoyevskiy em sua obra "Os irmãos Karamazov". O ódio da classe média não nasce de geração espontânea, ele é uma consequência direta de um país cuja grande imprensa é controlada por uma dúzia de famílias, onde livros são artigos de luxo e, quando publicados, trazem apenas mensagens reacionárias que relativizam e até negam o racismo, que trazem a russofobia, revisando o papel da potência socialista nos tempos da Segunda Guerra Mundial, e de publicações com uma mensagem antipopular, que criminaliza movimentos sociais e dissemina na sociedade a semente do ódio. Não se pode falar num Brasil democrático e livre de cães obcecados pelo ódio sem se falar numa eficaz "ley de medios", inspirada nos hermanos que puseram na América Latina grandes nomes como Che(que através do comunismo livrou-se de seus preconceitos) e Carlos Gardel.


Crime de injúria qualificada por agravante racial cometida em Aracaju, Sergipe.

19 comentários:

Edson Fernando disse...

Artigo tendencioso. Pra inicio de conversa, Olavo de Carvalho é ex-astrólogo, ele é filsósofo. Nunca lí tanta besteira junta!

A Página Vermelha disse...

"Artigo tendencioso. Pra inicio de conversa, Olavo de Carvalho é ex-astrólogo, ele é filsósofo. Nunca lí tanta besteira junta!"

Olavo de Carvalho não é e jamais foi filósofo! Primeiro que ele jamais terminou curso algum de filosofia. "Tá, mas Aristóteles também não!". Só que Aristóteles tinha um sistema próprio de ideias, e Olavo de Carvalho, que sistema próprio de ideias ele tem? Nenhum!!! É preciso ser muito ignorante para acreditar no contrário.
A "filosofia" de Olavo de Carvalho é mandar fulano ou cicrano ir "tomar naquele lugar", é baixaria, é palavrão, ou dizer que "um país é ótimo para negros por que viu um padre negão"(como se na época dos linchamentos também não tivesse padres negros).
Das duas uma cidadão, ou você postou isso de troça ou é muito ignorante, daí por isso tudo isso é "besteira pra você", já que seu cérebro é incapaz de compreendê-las!

A Página Vermelha disse...

Olavo de Carvalho não é filósofo, é um fascista que usa a rede como meio de propagação do ódio e da intolerância travestidos de jornalismo. Fascistas não pensam, fascistas apenas odeiam!

Um fascista pode lançar uma proposição verdadeira para cobri-la com uma crosta de mentiras! Assim, um fascista poderia lançar a seguinte afirmação:

"Muitas mulheres são estupradas" (verdadeira)

Depois ele afirma: "os estupros ocorrem por causa do satânico comunismo" (falsa, além do fato dele jamais ter lido qualquer obra sobre economia)

Daí quando alguém comunista ou não afirma que isso é falso, pois a obra de Marx não tem nada relacionado, então o fascista solta bravatas tipo: "Filho da puta!!! Seu filha da puta! Você está defendendo o estupro, eu vou matar você".

O típico aluno do Olavo reaciocina dessa forma, com seu pensamento monocromático.

Otávio Ziglia disse...

Fala que chamar o PSDB de esquerdista é absurdo - ignorando o passado de pessoas como FHC e Serra -, mas diz que qualquer opositor é fascista... típico...

Além do mais, Mises falou que não necessariamente PRECONCEITOS são ruins, mas saiba você que não existe apenas preconceito racial, preconceito é todo conceito generalista formado antes de conhecer o específico. Garanto que você deve ter lido toda a obra de Mises, na língua original, inclusive, para fazer uma crítica a um economista respeitado por diversas escolas econômicas e filosóficas.

Além disso, liberdade controlada por um órgão opressor, o Estado, não é liberdade. Quais são os seus parâmetros para definir até que ponto é liberdade e até que ponto é arbitrariedade (!? O que essa palavra tem a ver com excesso de liberdade? Eu estava esperando um "libertinagem", só que seria muito conservador - fascista, dentro do seu espectro político próprio - para você, né? Mas a ideia é a mesma.)

Além disso, criticar pessoas que dizem defender determinada ideologia não tem sentido algum, critique a ideologia, não as pessoas. Imbecis existem em todos os "lugares", e, partindo desse texto, acho que você - que criticou a inteligência de várias pessoas - não é muito diferente, só muda o lado pelo qual torce.

Levy S. disse...

Assustador o vídeo da "médica" fazendo escândalo no aeroporto! Sinto muito, mas eu teria voado no pescoço dela!

Unknown disse...

Sou de direita, conservador, com muito orgulho! E digo mais: comunistas, socialistas ou nazistas, não importo: eu os odeio e ponto final! Brasil!

Skychaser disse...

Se ter um sistema próprio de ideias é a única coisa que faz de alguém um filósofo, isso significaria que todos os filósofos teriam um sistema próprio de ideias. Ou seja, um sistema para cada filósofo. O que é obviamente falso. Abraços.

MuriloTri disse...

Apenas perguntar ao desconhecido se ele conhece a realidade radical de Ortega, o abarcador de Jaspers, o sentido histórico de Zubiri, a liberdade de Bordiaev, a excentricidade divina de Schelling. Caso não conheça, é batata: eis aí um esquerdista. Para identificar o homem da direita, o caminho é simples: se ele estudou uma única obra direitista com esmero, ele imediatamente percebe o quanto esta é superior.
O contrário nunca ocorreu na história humana. Ninguém passa décadas estudando a esquerda para concluir que ela é melhor. Qualquer um que tente estudar a direita, ainda que para criticá-la, passa a admirá-la. Não à toa, todos os grandes pensadores da direita geralmente eram esquerdistas que procuraram conhecer a esquerda de cabo a rabo: Croce, Voegelin, Kolakowski, Wilson, Horowitz, Sowell, Mário Ferreira dos Santos

Daniel disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Daniel disse...

Eu saí no segundo print e também represento a ""direita"". Temos todo tipo de gente em todo grupo, que tal deixarem de ser tão parciais?

Aquele grupo não é um bando de gente endeusando um partido ou uma causa, tem todo tipo de gente, com visões absurdamente diferentes e debatendo na boa... livre.

pedrovaladares disse...

Não tem problema ser contra um determinada corrente ideológica. Agora é preciso ter honestidade intelectual, senão deixa de ser debate e passa ser briga de rua. Uma coisa é um seguidor de determinado pensamento ser racista, outra bem diferente é atribuir esse comportamento a todos que concordam com esse pensamento.

Você critica as generalizações, mas seu texto está cheio delas. Reforço, você pode argumentar no mérito, debatendo o argumento. O que você fez foi um texto panfletário, que parte de algumas situações específicas e tenda fazer uma falsa generalização. Além disso, você retira as ideias de Mises de contexto. Ele nunca defendeu que escravidão era boa, muito menos que fascismo era algo bom, até porque ele sempre foi um grande crítico do estado inchado.

Se você quer realmente ter debates construtivos, não deveria escrever de forma tão intransigente e tendenciosa. É possível expor suas discordâncias de forma civilizada e sem agredir ninguém, como fez por exemplo o economista de esquerda Marcelo Miterhof - http://www1.folha.uol.com.br/colunas/marcelomiterhof/2013/08/1319978-ainda-o-debate-com-a-direita.shtml

Abraço!

A Página Vermelha disse...

@pedrovaladares

"atribuir esse comportamento a todos(...) Você critica as generalizações, mas seu texto está cheio delas"

Claramente, amigo, você não sabe o que são "generalizações".

Generalização é dizer, por exemplo, que "todo comunista é bandido, pervertido e imoral", como fez Olavo de Carvalho em seu perfil de Facebook. Uma coisa é dizer que TODOS são, outra coisa é dizer que A MAIORIA é! Em nenhum momento(nenhum!) o texto diz que "toda a direita é racista", mas o texto diz sim que a maioria é racista, intolerante e baixa! O que é todos? Todos é 100%. O que é "a maioria"? A maioria é o primeiro número inteiro após a metade, por exemplo 51%. No plano das ideias, nem todo pensador direitista renomado é racista, mas todo pensador racista é direitista. Nos países socialistas e de orientação marxista não havia "políticas eugenistas", mas no ocidente praticamente todos governos ocidentais foram eugenistas.

A Página Vermelha disse...

@Daniel

A resposta que dei ao Pedro Valadares responde sua ponderação.

E não temos "esse tipo de gente em todo grupo". Administro um grupo de discussão no Facebook com mais de 5 mil membros e não temos postagens racistas lá, uma vez que trata-se de um grupo comunista. Em praticamente todo grupo de esquerda que conheço não há ideias racistas, pois a esquerda não tem espaço para esse tipo de ideias. É categoricamente oposto e não se mistura com ela como o óleo não se mistura com a água!

Maria Lucia Centelha Luminosa disse...

Bom dia !
Estou encantada com essa página, que encontrei por acaso...
Parabéns ao responsável pela Página Vermelha, onde a leitura sobre assuntos atuais, é muito prazerosa e nota-se que os textos são elaborados de forma lúcida, sensata, e movida por um senso de justiça,encantadora.
Abraços...

RS Rock'n'Roller disse...

"No plano das ideias, nem todo pensador direitista renomado é racista, mas todo pensador racista é direitista."

Quer que eu poste as frases inspiradoras de dos seus amiguinhos Che, Marx, Stalin e Fidel sobre esse assunto?

"Nos países socialistas e de orientação marxista não havia "políticas eugenistas", mas no ocidente praticamente todos governos ocidentais foram eugenistas."

Meu Senhoooorrrr!!! Vem dizer que vc, honestamente, nunca ouviu falar de Lyssenko e a genética Mitchurinista? Bom filhão, então vc é comunistinha de boutique mesmo...

A Página Vermelha disse...

Claro que ouvi falar de Lyssenko e Mitchurinista, mas eles não eram geneticistas, aliás, exatamente por causa deles é que a genética não se desenvolveu nessa época. Eles seguiam as ideias de Lamarck.

Você não precisa postar frases inspiradoras de nenhum comunista, aqui nós já fazemos isso e temos a perfeita convicção de que você nunca leu nenhum desses autores. Eu posso muito bem citar Stalin, por exemplo, que dizia que "não existe raça pura", ele derrubou as teorias racistas em seu excelente trabalho "O marxismo e a questão nacional". Che falou em defesa dos negros na ONU, lutou em 3 lutas de independência de colônias africanas. Marx defendeu a classe trabalhadora, ele não defendeu o "homem branco cristão", além de ter apoiado o anti-escravista Lincoln.

Você carece de qualquer honestidade e por isso não tem voz aqui. A porta da rua é a serventia da casa para um porco anticomunista feito você e o melhor presente que um futuro comunista tem para oferecer a você é pólvora e chumbo!

Mauricio Sosa Recuero disse...

Adiante Cristiano!!!

Nunca deixes de pensar com a consciência humana libertadora comunista latinoamericanista e mundial que é capaz de iluminar o que muitos não veem.

Um fraterno abraço.

Mauricio Sosa

Mauricio Sosa Recuero disse...

Camarada Cristiano e caros leitores, a continuação deixo aqui o juramento dos médicos formados em Cuba:

(JURAMENTO DE LOS MÉDICOS GRADUADOS

JURAMOS:
Primero: Reiterar la renuncia al ejercicio privado de nuestras profesiones y la extensión a dos años, o más, si fuera necesario, del Servicio Médico Rural como medida tendiente a la correcta planificación de los servicios médicos y estomatológicos del pueblo.
Segundo: Retribuir al pueblo con nuestro esfuerzo, sacrificio y mejor trabajo, la oportunidad que nos brindó de formarnos como profesionales de esta Patria Socialista.
Tercero: Impulsar al máximo la medicina y la estomatología preventiva en nuestro país, y hacer efectiva con nuestra actitud la nueva filosofía proletaria de las ciencias médicas cuyo fin es el bienestar del hombre.
Cuarto: Mantener vigente en nosotros el espíritu de superación científica y política para alcanzar la calificación técnica necesaria y formarnos como comunistas, como único camino de ser cada día más útiles a nuestra sociedad socialista.
Quinto: En cumplimiento de los altos principios del internacionalismo proletario y siguiendo el ejemplo del comandante Ernesto Guevara, estamos dispuestos a brindar nuestra ayuda científica o de cualquier orden a los pueblos que luchan por su liberación nacional y por su independencia económica, política y social.
Sexto: Defender con nuestra vida esta heroica Revolución Socialista y Comunista.
JURAMOS: ante nuestro pueblo y nuestro máximo líder Fidel Castro, donde sea, como sea y para lo que sea comandante en Jefe ordene. )

Viva la lucha proletaria por el socialismo hacia el comunismo!

Mauricio Sosa

Andrezza Jordani disse...
Este comentário foi removido pelo autor.